Ads Top

Sapucaia, a cidade das mangas




Sapucaia é mais um dos municípios fluminenses que fazem fronteira com o estado de Minas Gerais. Localizada em uma região montanhosa de passagem da Serra da Mantiqueira é cortada por importantes rodovias federais como a BR-393 e a BR-116.


Bem-vindos a Pião, o quinto distrito de Sapucaia! 

O Rio Paraíba do Sul nos acompanha nessa viagem!
Banhado pelo Rio Paraíba do Sul, a cidade é composta por cinco distritos: Sapucaia – sede, Anta – 2º Distrito, N. S. Aparecida – 3º Distrito, Jamapará – 4º Distrito e Pião – 5º Distrito.


Tudo começou quando os suiços Inácio Lengruber e Vicente Ubherlato recebem algumas sesmarias em uma que abrangiam as terras da atual Fazenda de Santo Antonio. Isto se deu num 7 de março de 1809. Logo em seguida, os portugueses Joaquim de Souza Breves e Antônio de Souza Brandão (mais tarde Barão de Aparecida) e o francês Francisco Diogo Perret aqui se estabeleceram.

A pracinha do distrito de N. S. Aparecida.

Com o tempo, mais gente foi se achegando e um arraial apareceu e neste, Inácio Lengruber solicitou a edificação de uma capela dedicada a Nossa Senhora Aparecida. E assim nasceu o primeiro povoado de Sapucaia: No que hoje é conhecido o terceiro Distrito da cidade, a Vila Nossa Senhora Aparecida.

No século XVII os índios Purís, Coroados – da região de Valença, uns poucos Goytacazes da Vila de São Salvador de Campos e alguns aventureiros foram os primeiros moradores da localidade, habitando a região ribeirinha do município e também no lado mineiro do Paraíba do Sul.


Quando foi criado o Porto ou Registro do Cunha, em 1784, o ponto de parada de tropeiros era o atual distrito de Jamapará. E irônicamente ainda continua sendo, só que de viajantes que vão para as mais distantes partes de Minas Gerais e até do Nordeste. Aqui era conhecido como Sant’Ana e as comitivas de tropeiros faziam paradas para repouso à sombra das sapucaias.


Também os tropeiros paravam em um descampado que mais tarde viria a ser conhecido como Largo do Coronel Custódio e que depois recebeu as instalações do Paço Municipal em 1881. Atualmente ali estão instaladas a Escola Estadual Maurício de Abreu e a Praça Miguel Couto.

O nome do município se deve ao fato de muitas árvores conhecidas por sapucaias, nome originado do termo indígena Yaçapucaí. Apesar do nome, são poucas sapucaias que restaram no terrítorio da cidade. No ano de 1841, o botânico inglês George Gardner escreveu em seu livro “Viagem ao interior do Brasil” sobre Sapucaia o seguinte:
-“Sapucaia é uma pequena aldeia com poucas casas de recente construção, que deve sua origem à proximidade de uma nova ponte, ora em construção sobre o rio, em conexão com a estrada para a Província de Minas Gerais.”

Pois é, o inglês estava certíssimo! E no ano seguinte Sapucaia já era uma localidade diferente daquela que surgiu na idéia de Lengruber, Breves e do Barão de Aparecida. Um novo arraial surgiu em 1856 no lugar daquele formado em 1809 graças a iniciativa dos fazendeiros Augusto de Souza Furtado, Domingos Antonio Teixeira e José Joaquim Marques Melgaço.

A estrada de rodagem ligando Magé a Sapucaia foi concluída e com a construção da ponte pênsil, comerciantes e mascates foram chegando para atender a necessidade dos trabalhadores e assim o arraial cresceu passando a se chamar Santo Antonio de Sapucaia. Em 1871, se tornou Freguesia e três anos depois passava a ser município tendo como sede o Arraial de Sapucaia e se separando do município de Magé e de Paraíba do Sul.

Com o advento da elevação de categoria político-administrativa, Sapucaia recebeu em seu território os trilhos da Estrada de Ferro Dom Pedro II, com direito a visita de sua Majestade, o Imperador e sua comitiva.





A estação de Sapucaia foi inaugurada em 1871 pela E. F. Dom Pedro II noramal de Porto Novo, reduzido em 1911 a bitola métrica e incorporado à Linha Auxiliar da EFCB. A estação é a última em território do Estado do Rio de Janeiro, antes de a linha cruzar novamente o rio Paraíba e retornar a Minas Gerais. Recentemente a estação foi reformada e está servindo como museu (ou centro cultural, como afirmam outros).


A estação de Anta, aberta em 1875, ficava localizada no antigo ramal de Porto Novo da EFCB. Incorporada pela Linha Auxiliar em 1911, ela é hoje utilizada pelo trem de bauxita da FCA entre Barão de Camargos (próximo a Cataguases) e Barão de Angra, distrito de Paraíba do Sul. A estação é a primeira em território do Estado do Rio de Janeiro, depois de a linha cruzar o rio Paraíba do Sul em terras fluminenses para voltar a terras mineiras.

E em 27 de dezembro de 1889, Sapucaia adquiriu foros de cidade. Estadual nº 19, de 27 de dezembro de 1889, a Vila de Sapucaia adquiriu foros de Cidade.


Como chegar

Vindo do Rio de Janeiro: Siga pela BR-040 até o acesso próximo ao Hospital de Saracuruna e adentre pela Rio-Teresópolis. Por esta siga até o trevo de Jamapará e entre na BR-393, que é praticamente a avenida principal da cidade.

Vindo de São Paulo: Pela Via Dutra, o viajante deve seguir até o acesso a BR-393, em Volta Redonda. É só seguir por essa via até o Centro de Sapucaia.

Vindo de BH / Juiz de Fora: BR-040 até o encontro desta com a BR-393, em Jamapará.

Linhas de Ônibus (Clique no nome da empresa para mais informações)

A Viação Progresso opera linhas ligando Sapucaia ao Centro-Sul Fluminense e a Juiz de Fora, Além Paraíba e Muriaé.





A Viação Sertaneja opera uma seção na cidade para Petrópolis e Mar de Espanha.

A Viação Riodoce faz paradas no distrito de Jamapará para suas principais linhas.








O transporte municipal fica por conta da Transportes Além Paraíba.


Texto e fotos: Luiz Antonio Doria

Nenhum comentário:

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.