Ads Top

Parapeúna e o Sertão do Rio Preto

Separados por um rio. Mas que se unem pelo seu nome. É o que podemos dizer do distrito de Parapeúna e sua vizinha, o município de Rio Preto.






Parapeúna é o segundo menor distrito de Valença. Com 147 quilômetros quadrados, ocupa 11% do território valenciano e está a 28 km do distrito-sede, enquanto está a alguns passos da cidade mineira de Rio Preto. Limita-se ao sul e ao oeste com o distrito de Pentagna e ao sul com Conservatória e ao leste e ao norte com o Estado de Minas Gerais.


Sua história está intimamente ligada com a Fazenda São Fernando e a antiga estação ferroviária, que servia o distrito e o município mineiro. Curiosamente já foi denominada Rio Preto, mas mudou para o nome atual que em tupi-guarani significa “Rio Preto”.







Então, vamos atravessar o rio que dá nome a essas duas localidades e conhecer Rio Preto.
A região que hoje conhecemos como Microrregião de Juiz de Fora começou a ser explorada em meados do século XVII por bandeirantes que almejavam encontrar ouro, pedras preciosas e terras para o desenvolvimento de agricultura. E o município de Rio Preto, um dos vários municípios desta região, era povoado por índios Coroados que foram catequizados pelo Capitão Inácio de Souza Werneck e o Padre Manoel Gomes Leal por volta de 1763. Com o tempo, mais exploradores foram chegando e no ano de 1780 foi formado um arraial com o nome de Ouvidor.

A partir de 1780 é que se deu o desbravamento de áreas servidas fartamente de metais preciosos e solo fértil para a agricultura, os quais foram chamadas de “áreas proibidas”. Para ocupar o solo, foram designados colonizadores portugueses que foram auxiliados com mão-de-obra escrava e para explorar nessas terras só com autorização, fato este que atraiu novos moradores e posseiros. Até 1800, o lugar era conhecido como “Passagem do Rio Preto” e depois passou a se denominar “Registro do Rio Preto”.

No ano de 1824 há registros de que havia um presídio por aqui e que ao redor deste o povoado se desenvolveu. Daí o nome “Presídio de Rio Preto”, que permaneceu com a criação de uma Freguesia com este nome em 1833. Mas em 1844 foi criado o município com o nome de Nossa Senhora dos Passos do Rio Preto, devido a uma capela erguida em terras doadas por Joaquim Rodrigues Franco.

Depois disso, o município foi extinto e passou por processos de mudança de sede e anexação nos anos de 1846 e 1864. Em 1870 é que voltou a constar no mapa da então província de Minas Gerais. Com o tempo, foram criados distritos como o de Santa Rita de Jacutinga,Olaria, Santa Barbara do Monte Verde e São Sebastião do Barreado que viraram municípios nos anos seguintes.





Com a emancipação, Rio Preto começou a receber melhoramentos como a chegada da Estrada de Ferro Central do Brasil – do lado fluminense – no ano de 1892, da imprensa local no ano de 1902 e da energia elétrica no ano de 1917.

Hoje é a porta de entrada de Minas de quem vem de Valença e arredores, assim como era na época do auge da produção cafeeira e junto com Santa Bárbara do Monte Verde, possuem atrativos naturais de encher os olhos.





Visite Rio Preto, o pequeno notável da Zona da Mata!

Dica do Viajante

A dica do viajante fica por conta da Pousada Vila Verde, em Parapeúna e a alguns metros da ponte que corta o Rio Preto. Bom atendimento e uma mesa farta para o hóspede, que também curte Wi-fi sem custo adicional.

Em Rio Preto, não deixe de visitar o Restaurante do Sr. Vilmar, com uma farta variedade de pratos e saladas da boa e sempre bem-vinda culinária mineira. Fica no centro de Rio Preto, próximo a Praça Barão de Santa Clara.
Como chegar

Do Rio de Janeiro e São Paulo: Siga pela Dutra até o acesso a cidade de Piraí. Em Piraí você deve seguir pela RJ-145 passando pelo Centro de Barra do Piraí e pelo entroncamento com a BR-393 seguindo até Valença. Na altura de Chacrinha, distrito valenciano, você deve seguir pela RJ-147 e por esta vá até Parapeúna, onde você verá uma ponte de acesso a Rio Preto. Atravesse e bem-vindo a Minas.

De BH: Seguir pela 040 até o acesso com a BR-267, na altura de Juiz de Fora. Na 267, siga até o acesso a LMG-270 e por esta até o trevo de acesso a MG-353.

A Viação Senhor dos Passos opera uma linha saindo de Valença a Parapeúna. Acima o quadro de horários atualizado.

A Bassamar opera uma linha saindo de Juiz de Fora a Rio Preto via Sta. Barbara do Monte Verde. Vamos a eles.

Rio Preto x Juiz de Fora > 06:00 (Diário) – 16:00 (Seg a Sab) – 17:00 (Domingo e Feriado)

Juiz de Fora x Rio Preto >   08:00 (Diário) – 19:00 (Seg a Sab) – 19:30 (Domingo e Feriado)

Texto e fotos de Luiz Antonio Doria




Nenhum comentário:

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.