Ads Top

Sessão Nostalgia apresenta...

Hoje reabrimos a caixinha, após um rápidinha - por favor, não confundam -ida a hospitaleira cidade de Nova Iguaçú e voltamos para falar de uma empresa bem carioca, do tempo do nosso Estado da Guanabara. Fizemos uma saída estratégica pela direita – ou será, pela esquerda? – como diria um personagem dos desenhos animados da mesma época, da nossa agraciada. Empresa tradicionalíssima, uma das que operam o transporte na cidade do Rio de Janeiro, bem suburbana e mantendo suas tradições até o presente.

Nossa escolhida, na Seção Nostalgia do “RdV Apresenta” é a “Empresa Viação Lotações Estrela Ltda.”, para os íntimos “Lotações Estrela”, que atualmente ostenta outra razão social.

A sua origem é uma empresa já formada de lotações, que como todas as demais, foram obrigadas com o passar dos anos, a trocar seus lotações por ônibus, passando por uma entressafra com ambos. Com menos de 10 lotações, de 20 passageiros sentados, foi fundada em 20 de julho de 1950, a Estrela, com a sua única linha: Praça Paris x Encantado, via Dias da Cruz, sem prefixo. Sua numeração era seqüencial, porém somente números pares.

Seu ponto inicial era em frente a antiga Sears, no Passeio Público, e o final na Praça do Encantado, no início da Rua Clarimundo de Melo. A origem do nome é comum a muitas empresas antigas que não tinham garagens próprias. Sua garagem era na Rua Pedro de Carvalho, 28, Lins de Vasconcelos, em um posto de gasolina: Posto e Garage Estrela (não era garagem, e sim garage). Outros exemplos: Viação Presidente; Viação Maracanã; Viação Transmontana; e Auto Diesel (primeira razão social: Posto Auto Diesel Ltda.).

A linha inicial foi substituída para Praça Paris x Engenho de Dentro e seu ponto final passou a ser em frente à estação ferroviária do bairro do Engenho de Dentro, na Av. Amaro Cavalcanti. Nessa época recebeu prefixo numeral, um prefixo único – que abrangia empresas de lotações e ônibus e estabelecia uma frota máxima de 50 veículos, por empresa - adotado pela então Prefeitura do Distrito Federal. Seu prefixo era: 440X.

Já na antiga Guanabara, com a nova política e reestruturação de linhas, foi obrigada a sair do Centro, e para se “manter viva”, foi enviada para operar mais no “suburbão”. Duas linhas lhe foram concedidas, em 64, à 651 – Méier x Cascadura, via Arquias Cordeiro e a 652 – Méier x Cascadura, Via Lins Vasceoncelos. Ou seja, um tradicional circular que ia por um lado e voltava pelo outro, como várias que conhecemos/conhecíamos na cidade.

Até 66, operou com lotações e gradativamente foi substituindo totalmente sua frota por 16 ônibus “zero-balas”, sendo 8 CERMAVAs MASSA (números impares, rodavam na 651) e 8 BONS AMIGOSs (números pares, rodavam na 652). Seu prefixo como empresa de ônibus passou a ser 82.5XX. Perceberam pela dica do prefixo, que estamos falando da atual Transportes Estrela Ltda.

Sua pintura nos lotações era teto marrom, com asas azuis claras; uma primeira faixa azul clara; uma segunda faixa branca dividida em duas partes; e corpo laranja-zarcão, com saia marrom. Seus ônibus, adotaram uma pintura prateada, com uma faixa central e saia, azul média.

Com a obrigatoriedade legal escalonada, chega 30 ônibus, após comprar a Empresa de Transportes Pereira Santos Ltda., que operava alinha 678 – Méier x Vila Valqueire, em 69. No mesmo ano, troca sua razão social para Transportes Estrela Ltda. (TEL), existente até hoje, e começa a operar outras linhas como a 260 – Praça XV x Vila Valqueire - esticada do Largo do Campinho e operada pela Viação Belacap S/A -, a 262 e posteriormente a 711.

Viajamos no tempo, falamos da Estrela e de tabela de citamos duas outras irmãs da época, Pereira Santos e Belacap.

Quem tiver algo para adicionar a matéria, fique a vontade para nos contatar. Só assim, resgataremos essa história, dos assuntos que gostamos e curtimos.

RECORDAR É VIVER. Até a próxima...


Texto: Eduardo Cunha
Desenhos de Armando Reis e Marcelo Busovisk
Foto do acervo do site Cia de Onibus

5 comentários:

  1. Bem legal o post, Dória! O ponto final no Passeio que você se refere não é a Mesbla? Pelo que eu saiba, não teve loja da Sears no Centro, só a sede em Botafogo, Méier na Dias da Cruz, Barra Shopping e Madureira Shopping.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Fernando, grato pela correção. É Mesbla e não Sears. Abraços, Eduardo.

    ResponderExcluir
  3. Rapaz, que saudades da Estrela, da Estrela que era azul mas não era a Estrela Azul.
    Aquela Estrela que, em 1986, rodava na 262 com Condor, que tarde da noite me levava do Maracanã para a Pça. Mauá para pegar meu Mageli; essa mesma que está aí na matéria com um alongadaço Caio Amélia na 260!
    Belos tempos da Estrela!

    Bela matéria, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Eduardo.
    Mais uma vez um artigo que conta a trajetória de uma empresa ainda em atividade, com os detalhes que só um estudioso do assunto poderia nos proporcionar e com aquelas ilustrações que nos fazem viajar pelo tempo.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Tenho saudades desta Estrela com " E " maiúsculo !
    Lembrar das linhas 651 e 652 com seus Cermavas e cruzando a passagem de nível Tomás Coelho...

    Amigos, que belo resgate !

    Um grande abraço.

    Edvaldo Gonçalves
    http://onibusemdebate.fotopages.com/

    ResponderExcluir

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.