Ads Top

Cachoeira: Cidade Heróica e Monumento Nacional


Quando se fala em Patrimônio da história nacional, pensamos em em cidades históricas como Tiradentes, São João Del Rei...

...Paraty, Congonhas...

...e Petrópolis, entre outras. Cidades que preservam e respiram a história de nossa gente, nosso povo.

Mas poucos conhecem uma cidade baiana, localizada a 110 km de Salvador (Clique no mapa e veja a localização de Cachoeira em tamanho real) e que foi declarada "Cidade Monumento Nacional" no ano de 1971 eque foi palco de aclamações e revoltas em prol da independência baiana. Também revelou para o Brasil grandes talentos em diversas áreas.


Castro Alves, André Rebouças e Ana Néri, a pioneira da enfermagem brasileira. E não podemos esquecer de outra grande mulher...

...Maria Quitéria!!! Homenagearemos estes e outros filhos ilustres da Heróica Cidade de Cachoeira aqui no RELATOS DE VIAGEM ETC.

Vamos mostrar a história e as belezas desta cidade desde o início de seu povoamento até os dias de hoje. E como mencionado acima, prestando a devida homenagens a seus filhos ilustres!

Os Adornos


Se Cachoeira é o que é hoje, deve a eles: A Família Adorno! Corria o ano de 1557...O Governador Geral Duarte da Costa doou a seu filho, D. Álvaro da Costa, uma sesmaria localizada entre os rios Paraguassu e Jaguaripe. Realizada a divisão desta em lotes, um desses foi concedido a vários aventureiros que se destacavam em combates aos sílvicolas.

Um desses aventureiros era Antonio Dias Adorno. Antonio Adorno ergueu em seu lote um núcleo de engenho que viria a dar origem a cidade de Cachoeira. Por volta de 1595, seu filho, Álvaro Rodrigues Adorno se instala na localidade e estabelece amizade com os índios.

Mais tarde, outro integrante da família Adorno é recompensado pela sua bravura: O Capitão-mor Gaspar Rodrigues Adorno recebe uma sesmaria com quatro léguas de terras entre os riachos Pitanga e Caquende e ali começa a plantar cana-de-açúcar.

Entre 1612 e 1621, Gaspar se estabelece no núcleo inicial da cidade heroíca, onde já havia uma povoação com engenho de açúcar, senzala e uma pequena ermida de Nossa Senhora do Rosário.

A Ermida de Nossa Senhora do Rosário, atual Capela de N. Sra. da Ajuda.

No ano de 1654, João Rodrigues Adorno fixa residência na região e reconstrói a primária residência e a ermida.

E assim os Adornos fazem a região crescer, construindo ao lado do riacho Pitanga outro engenho. Só que este veio acompanhado de alambique e casa grande. Tal investimento contribuiu para o crescimento da população.


A Vila de Nossa Senhora do Rosário Porto da Cachoeira do Paraguassu

Em virtude deste crescimento, era criada a Freguesia da Nossa Senhora do Rosário no ano de 1698. Mas antes disso...

...Cachoeira já era tido como um dos mais movimentados portos da Capitania da Bahia (Depois viria a ser o mais movimentado da província). Com a movimentação de fardos e mais fardos de açúcar, Cachoeira foi elevada a categoria de Vila.

A Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira do Paraguassu foi criada por meio da Carta Régia de 27 de dezembro de 1693 e sua instalação se deu no dia 29 de janeiro de 1698 pelo Des. Estevão Ferraz de Campos. Com o grande fluxo dos fardos descritos inicialmente, Cachoeira se tornava uma das mais prósperas regiões da Colônia e diversos engenhos foram construídos e cercavam a vila.

A Vila era composta das seguintes freguesias: São Pedro de Muritiba, Senhor Deus Menino de São Félix, Nsa. Senhora do Outeiro Redondo, Nossa Senhora do Bom Sucesso da Cruz das Almas, Curralinho (Atualmente o município de Castro Alves), São Tiago do Iguape, Nsa. Sra. da Conceição da Feira, Santo Estevão do Jacuípe, São Gonçalo dos Campos, Feira de Santana e a Freguesia de Nossa Senhora do Rosário.

E tamanha prosperidade chegou aos ouvidos do Rei de Portugal, que instituiu uma vultosa taxa para cobrir os estragos causados pelo terremoto que assolou Lisboa no ano de 1756: Hum conto e oitocentos mil réis.

Bem, os anos passaram e a partir dos anos 1800 é que Cachoeira começou a mostrar porque ela merece ser chamada de Cidade Heróica. Mas, isso é assunto para a segunda parte desta série.

Até lá e grande abraço!


Texto: Luiz Antonio Doria

Fotos: Ailton Dorea (Apesar de diferença na grafia, ele é meu primo), Luiz Antonio Doria e Rodrigo Silva.
Foto de Castro Alves extraído do Site da Unerj
Foto de Maria Quiteria extraída da Galeria de patronos do Exército Brasileiro
Foto de Ana Nery eztraída do Site www.nossosaopaulo.com.br

Fonte Pesquisa: Prefeitura da Cidade de Cachoeira

Nenhum comentário:

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.