Ads Top

RECORDAR É VIVER: Ela é cinquentona mas ainda está na moda: Ela é uma estrela! ESTRELA AZUL!

Como diria aquele "menino" que aparece no comercial de supermercado: "Direto do túnel do tempo..."

No dia 24 de março...

1882 - O bacteriologista alemão Robert Koch anuncia ter isolado o bacílo da tuberculose.

1958 - Elvis Presley é aceite no Exército dos Estados Unidos no Quadro de Recrutamento de Memphis e é-lhe atribuído o número de série 53310761.
Nasce mais uma estrela: é fundada a Transportes Estrela Azul !!


Prosseguindo...


1996 - Hyakutake, o maior cometa a passar pela Terra em 20 anos, se torna visível a olho nu.
2002 - A ginasta brasileira Daniele Hypólito conquista medalha de ouro na Copa do Mundo de Ginástica em Cottbus, Alemanha.

2008 - 50 anos da Estrela Azul !!

Entre tantas empresas com nomes estelares que existiram na cidade do Rio de Janeiro – Estrela, Estrela de Prata, Estrela de Ouro, Estrela do Norte, Estrela do Oriente, Três Estrelas – a Transportes Estrela Azul (55000) e a Transportes Estrela (82500) foram as únicas que sobreviveram às fusões, cisões e extinções ocorridas ao longo dos anos.

Mas hoje vamos falar apenas da Estrela Azul.



Estrela Azul que, curiosamente, já teve pintura marrom e branco, pintura laranja e hoje é literalmente uma estrela azul!

A Estrela Azul surgiu em 1958 e sua principal linha, a 434 – Grajaú x Leblon, foi criada em 1966. Essa linha ligava dois pontos extremos de duas importantes regiões da cidade do Rio de Janeiro: Grajaú na Grande Tijuca e Leblon na Zona Sul, passando pelo Centro.
Ainda hoje a 434 ainda é uma importante linha pelos muitos deslocamentos intermediários que proporciona ao longo do seu itinerário, mas parece que na época a linha também já era uma muito boa, visto que fortaleceu a empresa para sua expansão alguns anos mais tarde.

Os anos 70 foram muito importantes para a Estrela Azul.

A empresa já entra nessa década com destaque no setor por ser uma das primeiras e poucas a ter em sua frota um modelo que a bem da verdade pouco tempo de vida teve em sua encarroçadora original: o sempre festejado Vieira Alfacinha, que trazia uma série de inovações para um ônibus urbano, e que logo depois viria a ser relançado como Metropolitana Novo Rio, e ainda daria origem ao Metropolitana Ipanema.
Além disso, ao longo dessa década a empresa aumentaria seu quadro de linhas e, mais que isso, sua área de atuação.


Da Viação Forte, a Estrela Azul assume a linha 310 – Praça 15 x Del Castilho, entrando assim no subúrbio carioca.

Já da empresa Francisco Sá vem a linha 464, originalmente Francisco Sá x Jardim de Alá, que com diversos prolongamentos ao longo dos anos, se firmaria como Maracanã x Leblon.

E, ainda nos anos 1970, surge a linha 435, versão “via Túnel Sta. Bárbara” da 434.

Assim, de uma única linha diametral em 1966 (434), a empresa chega aos anos de 1980 com outras duas linhas diametrais (435 e 464) e ainda uma linha radial norte (310).
E assim parecia que a Estrela Azul ficaria por bom tempo .

Mas...
Os anos de 1980 são anos de reviravoltas em algumas empresas Cariocas. Ao assumir da recém extinta Colúmbia Auto Ônibus linha que por sua vez tinha sido recém assumida da também recém extinta Transportes Uruguai (quantas tradicionais empresas extintas em tão pouco tempo, que lástima!), a Estrela Azul mais uma vez engorda seu quadro de linhas e, mais uma vez, aumenta sua área de atuação, adentrando um pouco mais no subúrbio, notadamente através do eixo da Av. Automóvel Clube.
Se ela já tinha chegado à Del Castilho com sua então listrada frota através da 310, dessa vez sua já monocromática frota laranja chega à Irajá, com a linha 296 – Castelo x Irajá.

De quebra, a empresa ainda passa a ser vista ao longo da Avenida Brasil com a linha 297, versão rápida da 296.

Quem diria... Em pouco mais de vinte anos aquela pequena estrela azulada nascida em Vila Isabel seria vista do Irajá ao Leblon, do Grajaú à Praça 15!

Mas não pára por aí...
A empresa continua sua expansão pelos subúrbios com a reativação da linha 292, que se nas mãos (ou nas rodas?!) da Transportes Uruguai alcançava Inhaúma por São Cristóvão, passa a circular pela Av. Brasil como 292 - Praça 15 x Eng. da Rainha.

E ainda cria a 311 – Praça 15 – Cavalcanti, depois esticada até o desconhecido bairro de Engenheiro Leal, espremido entre a Linha Auxiliar (Ramal Ferroviário de Belford Roxo) e as franjas da Serra da Misericórdia.

Depois de todas essas mudanças, o perfil da empresa deixa de ser essencialmente “diametral” para ser muito também “radial norte”.

Uma empresa legitimamente Carioca!

Que circula tanto pelas elegantes ruas do Leblon e da Gávea e pela chique Ipanema quanto pelos humildes e esquecidos subúrbios ferroviários.

Que respira os ares da antiga “princesinha do mar” Copacabana que, junto com a Lapa, estão mais para uma nova Babel – se não de todas as línguas, certamente de todas as tribos!

Empresa que passeia pelo Centro Histórico e pelo Centro Moderno, que margeia as charmosas calçadas de Vila Isabel com suas notas musicais para alcançar aquele que já foi um dos mais tranqüilos bairros residenciais da cidade, o Grajaú.

E que encara o pesado trânsito das artérias suburbanas como a Av. Brasil e a Av. Martin Luther King. Enfim, uma empresa com uma mistura de linhas e itinerários tal e qual a “mistura total” que é o Rio de Janeiro.
E que merecia uma pintura muito mais à sua altura do que o monocromático laranja. Uma pintura que casasse com o nome, com as cores...

Senhoras e Senhores, com vocês...

Transportes Estrela Azul!

E ainda se deu ao luxo de criar uma 2ª. e não menos bonita pintura...
...para os carros com ar condicionado.

Mas...(tem sempre um mas...) pena que tão belas pinturas, uma das poucas que entre as empresas de ônibus casam perfeitamente o nome com as cores e o desenho, venham marcando também uma época em que a empresa não vem dando o devido valor e a devida atenção que algumas linhas, independente de seus problemas, merecem.




Notadamente as radiais norte.

Micros (curiosamente com pintura de AC), midis, alteração de itinerários, parciais. Pragas do transporte moderno Carioca que a empresa não passou ao largo.

Vale lembrar ainda o tempo em que a empresa atuou nos serviços especiais Lagoa-Orla e Rio-Orla, serviços diferenciados operados em pool com outras empresas, entre bairros da Zona Sul.
Serviços inclusive onde a utilização de micro-ônibus é bastante aceitável.

Mas...é isso aí...ela já é cinquentona...mas tá na moda!!! Por que és uma estrela...ESTRELA AZUL!
Abraço e tudo de bom!
Texto: Marinaldo Jr e Fernando Ezídio
Concepção: Fernando Ezídio
Revisão: Luiz Antonio Doria
Fotos: Acervo Cia de Onibus
Desenhos de Bruno R. Araújo






















Um comentário:

  1. Como curiosidade, a Estrela Azul chegou a rodar a 780, Benfica x Madureira, em 1997...

    ResponderExcluir

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.