Ads Top

O Lado B da Ferrovia Fluminense: O Ramal Visconde de Itaboraí

"Vejam bem, prestem atenção
Essa é a nossa estação..."


Abandonada e entregue ao mato e ao descaso, isto é o que resta do que um dia foi o Ramal Visconde de Itaboraí. Operada (ou melhor dizer, abandonada?) pela Central - Companhia Fluminense de Trens Urbanos, que um dia já foi chamada de Flumitrens.

Esta mesma estatal ainda faz, de forma DESCARADA e DESAVERGONHADA, propaganda deste no Ramal Guapimirim. Como se esta ainda operasse...

E tudo começou assim...

ITABORAÍ ADENTRO...

Era para ser um roteiro Itaboraí adentro, mostrando localidades bucólicas como Itambi, Visconde de Itaboraí e Porto das Caixas, mas foi em Visconde - final do ramal que levava o nome da localidade, estendendo-se desde o Barreto, em Niterói - que encontramos este verdadeiro cemitério de trens.


Um crime, praticamente, numa área que carece de transporte e - desde há muito atrás - fala-se da solução do Metrô no leito deste ramal, sem que nada seja construído.

O Ramal surgiu como parte integrante da "Linha do Litoral" ligando Niterói a Rio Bonito, sendo que em Visconde de Itaboraí e em Porto das Caixas, o trem poderia se interligar com os ramais de Saracuruna e do Cantagalo.

Pelo caminho da 124B (Alcântara x Itaboraí via Porto das Caixas), operada pela Rio Ita pode-se seguir um pouco dos trilhos deste ramal.

O que a imagem sugere? Um Senior GV da Rio Ita esperando o trem passar? Que nada...É apenas o ponto final de uma das linhas da empresa, que liga Alcântara...

...a Itambi, que por coincidência fica próxima de uma das paradas do ramal: A Parada Amaral.

E o bravo Torino segue o caminho do ramal que outrora trazia alegria e o barulho do trem a esta localidade...

...que hoje assiste a ferrugem e o mato tomar conta dos trilhos e dos avisos de passagem de nível.

Acreditamos que nesse cruzamento, ocorria o entroncamento da linha do litoral com o ramal de Saracuruna, na localidade de Porto das Caixas.

A Estação do Visconde

Toc, toc, toc...tem alguém aí?

Pela demora em responder, acho que não tem ninguém para nos apresentar a estação. Então, vamos apresentar o homenageado. Com vocês, o Sr. Joaquim José Rodrigues Torres...

...mais conhecido como VISCONDE DE ITABORAÍ, filho ilustre desta terra que exerceu o cargo de Ministro da Marinha (1831), Deputado Geral da 3ª legislatura da Corte Portuguesa representando o Rio de Janeiro, 1º Presidente da Província do Rio de Janeiro e também Conselheiro de Estado e Senador do Império do Brasil.


Foi agraciado com o título de Visconde e no ano de 1854 e nesse mesmo ano, tornou-se cavaleiro da Imperial Ordem do Cruzeiro, insígnia destinada a premiar brasileiros que contribuíram para o engrandecimento da nação.

Mas...voltemos a Estação...


Plataformas de embarque/desembarque, composições...

...trilhos, onde havia trabalhadores, pessoas simples destinando-se para Niterói e para a Leopoldina (passando pelos trilhos do ramal de Guapimirim)...

...vemos esta triste e melancólica cena: A ferrugem tomando conta de tudo, conjuntamente junta com o matagal que cresce incessantemente.

E indiferente a toda esta situação, jovens e adultos disputavam uma animada pelada no campo do Esporte Clube Ferroviário, que fica ao lado da estação.

E em meio a desolação e a indiferença dos peladeiros da Vila Ferroviária rolava uma Big Band

-que nos fazia imginar os bons tempos daquela Estação: Os trens chegando e indo para Niterói, o povo embarcando e desembarcando. - mas, depois veio uma música do "Rei" que inspirou o Viajante Doria a iniciar este post.

E até aproveito o vasto acervo musical do "Rei" para dizer mais: "Além do horizonte eu posso ver, abandono e o resultado de um poder público incapaz..."

E pelos trilhos que passam pela terras do Visconde...

...observamos o quão seria importante a revitalização deste ramal, tanto para o transporte público como para o setor turístico. Sim, porque não? Aproveitar este ramal e outros tantos espalhados pelo nosso estado para fins turísticos (Como faz de forma excelente a vizinha Minas).


A História da Estação é, assim como tantas outras coisas em nosso país, bem burocrática: Concluída pela Cia Ferro-Carril Niteroiense em 1874, passou as mãos da E.F. Cantagalo, que depois veio a ser adquirida pela E.F. Macaé a Campos (que levou os trilhos desta para as cidades de Macaé e Campos) e em seguida, enfim, absorvida pela E.F. Leopoldina.


Lá pelos idos de 1975, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) adquiriu toda a malha ferroviária da Leopoldina...e depois veio a Flumitrens e deu no que deu!

Um cenário de total desolaçãso para os amantes e admiradores do transporte ferroviário.


Mas, nem tudo é ruim: Observamos que apesar do silêncio, em alguns trechos há sinais de que alguém passa por lá e deixou rastros...de óleo! Ainda há algumas composições que passam por lá: provavelmente de cargas.


Então saímos de lá, torcendo para que algum dia o poder público acorde para a necessidade de um transporte eficiente para o povo daquelas bandas e deixe de se submeter a interesses escusos.


E vamos limpando...


Abraço e tudo de bom! Obrigado pela sua visita.


Texto: Luiz Antonio Doria e Rodrigo Silva

Fotos: Luiz Antonio Doria, Rodrigo Silva, Rafael Silva e Diego Barbosa.

Foto de Visconde de Itaboraí extraída do site do Ministério da Fazenda.

Fonte pesquisa: Wikipedia e Estações Ferroviárias.

3 comentários:

  1. Muito interessante... ótima reportagem fotográfica, gostei...

    ResponderExcluir
  2. uma das melhores matérias que já li até hoje aqui no RdV.

    Mesmo não sendo grande admirador de trens, me dá uma certa tristeza ver esse cenário desolador...

    Que um dia as coisas mudem!

    Abraços a todos e parabéns pela bela reportagem!

    ResponderExcluir
  3. é uma pena, pois há poucos anos atrás eu passava de carro vindo de niterói para guapimirim rezando pra encontrar com o trem na passagem de nivel da BR. algumas vezes nos encontramos, e não tem nada mais emocionante do que o apito do trem cruzando a pista. muita gente usava a linha pra ir de magé a niterói e vice-versa, mas o pior de tudo foi o fim da maria-fumaça que saía de guapi para porto das caixas, num passeio turístico. era lindo! http://www.youtube.com/watch?v=4-SIpZJf2_s

    ResponderExcluir

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.