Ads Top

A Teuto-suiça Nova Friburgo

Fala, meu povo!

E o "03" do RdV., Leonardo Branco, nos brinda com mais uma viagem pelas terras fluminenses: Depois de nos mostrar Cordeiro, Cantagalo, Macuco e Trajano de Moraes, Branco nos convida a conhecer as terras do Barão de Nova Friburgo.

Barão de Nova Friburgo

Foto extraída do site: http://www.bairrodocatete.com.br
Antes de contar a história da cidade, vamos conhecer um importante cidadão...

António Clemente Pinto foi um proprietário luso-brasileiro que chegou no Brasil em 1821, onde trabalhou numa loja no Rio de Janeiro.

Com a ajuda do Barão de Ubá, enriquece e adquire fazendas de café nas regiões de Nova Friburgo, Cantagalo e São Fidélis.

Constriu o Palácio das Águias (Hoje o Palácio do Catete) e o primeiro ramal da ferrovia de Cantagalo, ligando Porto das Caixas a Cachoeiras de Macacu (Obra iniciada por ele e concluída por seus filhos, ligando Porto das Caixas até Niterói e depois até Cantagalo, passando por Nova Frgiburgo).

A Fribourg Brasileira

Nova Friburgo foi construída graças aos esforços dos primeiros colonos suiços, que chegaram entre 1819 e 1820, vindos de Fribourg pelas mãos do agente de Cantão de Friburgo Sebastião Nicolau Gachet.

Os suíços, homenageando a terra-mãe, chamaram o povoado de Nova Friburgo. Mas, em 1824, Nova Friburgo foi também tendo traços de origem alemã com a chegada dos alemães na localidade.

A cooperação entre os colonos suiços e os moradores locais foi proporcionando um progresso e desenvolvimento tão promissor que o Império expediu um alvará decretando a instalação da Vila de Nova Friburgo no ano de 1820, consistindo também da separação das terras da nova vila das terras de Cantagalo.

E mais gente chega na Suiça Brasileira...

Após a Independência do Brasil, é enviado à Alemanha o Major George Antonio Scheffer para organizar a vinda de imigrantes para colônias estabelecidas às margens dos rios Caravelas e Viçosa, na província da Bahia em 1816.

Mas, não se sabe o porquê, eles acabaram desembarcando em Nova Friburgo em 1824 sob a tutela do pastor Frederico Sauerbronn. E com essa mistura de nacionalidades...

...Nova Friburgo foi elevada a categoria de cidade em 8 de janeiro de 1890. E mais gente foi chegando: Sírios, libaneses, italianos e até portugueses!

Em 1861, começou a ser erguida a Matriz de São João Batista.

Na época, Nova Friburgo não tinha capela. Então o governo imperial adquiriu um terreno e nele lançou a pedra fundamental para erguer uma e em 1869, ela foi inaugurada e dedicada a São João Batista, homenageando Dom João VI pelo decreto autorizando a vinda de vinte católicos suíços para o país.

Curiosidade: Erguida em terreno argiloso, o prédio de arquitetura clássica apresenta uma leve inclinação para a esquerda.

Praça Getúlio Vargas, no centro de Friburgo, e o homenageado.

E até o ano de 1910, a cidade se destacava no ramo agrícola até que Julius Arp e outros cidadãos de iniciativa consolidarem o processo de industrialização de Nova Friburgo. Não é a toa que a cidade se destaca como pólo têxtil.

Ao fundo, podemos avistar nesta foto (Que retrata o Centro de Friburgo) o Instituto de Educação de Nova Friburgo, erguido em 1922 e dotado de linhas e traçados de natureza germânica.

E falando em Alemanha e Suiça...

O nome é meio suspeito: Loja do Porquinho?!?

...Que tal um Queijinho direto da Praça das Colônias, ponto de encontro de todas as culturas e costumes que ajudaram a construir a Suíça Brasileira? Ah, e por ali também tem um museu de Taxidermia...Taxi o que?!? Clica no nome e confira o significado desse termo (Só num sei se vocês vão gostar do significado hehehe).

E nos arredores, que bella paisagem!!!

E na nova pátria, os suíços não esquecem os heróis de sua pátria-mãe!

Guilherme Tell é citado sempre como o ficou marcado só como o homem que acertou uma maça na cabeça de um menino. Mas, ninguém sabe que ele foi o homem que libertou a Suíça da tirania do Imperador Gessler. Confiram a história dele clicando aqui.

Além do Centro, a cidade oferece muitas outras opções de lazer. A dica é encarar um passeio pelas rústicas estradas da cidade rumo a São Pedro da Serra e Lumiar. Mas isso é são outros O-500...em uma outra viagem.

Como chegar

Vindo do Rio de Janeiro: Após encarar a Ponte Rio-Niterói, é seguir pela Niterói-Manilha/BR-101 até o acesso a RJ-116 e "diretex" até Friburgo, seguindo as placas indicativas.

Linhas de Ônibus

Rio x Nova Friburgo
Niterói x Nova Friburgo
Nova Iguaçu x Nova Friburgo (É Big Field! Nada a ver com a Campo Grande Mato-Grossense)
Campo Grande x Nova Friburgo
São Sebastião do Alto x Nova Friburgo
Macaé x Nova Friburgo
Rio das Ostras x Nova Friburgo
Cabo Frio x Nova Friburgo
Cachoeiras de Macacu x Nova Friburgo (Auto Viação 1001)

Nova Friburgo x Itaocara
Nova Friburgo x Campos
Nova Friburgo x São Fidélis
Nova Friburgo x Itaperuna (Brasil)

Nova Friburgo x Além Paraíba
Nova Friburgo x Duas Barras (Natividade)

Nova Friburgo x Teresópolis (Teresópolis)

Linhas Municipais: Friburgo Auto Ônibus (FAOL).

Vindo de São Paulo: Seguir pela Via Dutra até o acesso a Linha Vermelha. Siga por ela até o acesso a Washington Luiz, saindo por esta e seguindo até a Rio-Teresópolis. Pela Rio-Teresópolis, você deve seguir como se fosse a Teresópolis até o acesso a Estrada das Hortaliças (RJ-130): Curta a bucólica e tranquila paisagem das fazendas de Campo do Coelho e Vale do Bonsucesso até chegar em terras friburguenses.

Linha de Ônibus: A Auto Viação 1001 disponibiliza dois horários para São Paulo: 14:02 (Conv. com AC) e 22:00(Especial ou Leito Double Service).


É isso aí, meu povo! Abraço e tudo de bom!


Texto: Luiz Antonio Doria, com consultoria de Leonardo Branco


Fotos: Leonardo Branco e Luiz Antonio Doria

3 comentários:

  1. Como faço para se seguidor e acompanhar este blog?

    ResponderExcluir
  2. Saudade dessa cidade, que infelizmente vou pouco. A Queijaria Suíça é tudo de bom, pena que o transporte pra lá é complicado. E mais uma coisa interessante: aproveitando o gancho que você citou do Pastor Sauerbroon, a Igreja Luterana de Nova Friburgo é a mais antiga do país e está fazendo 185 anos agora em 2009.

    ResponderExcluir
  3. Lembrei de mais uma coisa: dependendo de onde você parta da cidade do Rio ou mesmo da Baixada pode valer mais a pena seguir por Guapimirim, fazendo o trajeto Washington Luís (BR-040), Rio-Magé (BR-116), Parada Modelo (Guapimirim) e a estrada RJ-122 até Cachoeiras de Macacu, daí tomando a RJ-116 até Nova Friburgo.

    ResponderExcluir

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.