Ads Top

O PATY DO ALFERES

Paty é uma espécie de Palmeira, árvores que se elevam aos céus...

...E devido a predominância desse tipo de Palmeira nas terras dos Alferes Leonardo Cardoso da Silva e Francisco Tavares a "Roça do Alferes" veio a se chamar PATY DO ALFERES, que conseguiu sua emancipação em 1987.

Mas, antes de Paty se conhece outros recantos do Centro-Sul Fluminense...

...como Conrado...

...Antiga Estação Ferroviária de Miguel Pereira...

Antiga Igreja Matriz da Cidade
Pedras Ruivas, entre Paty e Miguel Pereira

...e outros atrativos de Miguel Pereira, que já foi apresentado no post relativo a cidade, no Relatos de Viagem Etc. (Quando ainda era estava no Weblogger).

A Cidade Possui três distritos: Centro, Arcozelo e Avelar. Nessa minha visita, priorizei os distritos do Centro e do Arcozelo, este último merecendo um destaque maior. Por isso, Paty do Alferes será relatado em duas partes. Vamos à Primeira Parte, então!

Bem-vindo a Paty do Alferes! Destaque para a Frase "Verás que um filho teu não foge a luta!"
Verso do Hino Nacional Brasileiro, do Patiense Joaquim Osório Duque Estrada

Na época em que passei pela cidade, estava seguindo para Três Rios, depois de visitar Miguel Pereira. Mas, depois de rever o site da Prefeitura e resolver as "incógnitas", aqui estou contando e mostrando o que tem de bom essa simpática cidade distante 118 Km da Capital.

Antiga Estação Ferroviária da Cidade, Hoje Terminal Rodoviário.

O Antigo Prédio da Câmara Municipal é o primeiro destaque na subida da Manoel Bernardes, a principal via do Centro da Cidade.

Em seguida, a Praça Manoel Congo. Nela, está localizada o Centro Cultural Maestro José Figueira e um busto em homenagem a Manoel Congo.

No próximo post, vamos detalhar o papel e a importância de Manoel Congo para Paty do Alferes. E enveredando meus caminhos pelo Largo da Matriz, encontro-me com ela...

...A Igreja Matriz de Paty do Alferes.

A Cruz que está em frente a Matriz, foi feita em pedra e originalmente, ela se encontrava nos fundos da mesma.

No Largo da Matriz, temos uma estátua de São Francisco de Assis, numa homenagem do povo patiense ao Cinquentenário da presença dos padres franciscanos na paróquia da cidade. E a homenagem aconteceu no ano da emancipação.

Nesta Matriz foi batizado o autor da letra do hino nacional brasileiro, o Ilustre Joaquim Osório Duque Estrada. Ele foi batizado em 16 de abril de 1871.

Joaquim Osório Duque Estrada

(Pati do Alferes, 29 de abril de 1870 — Rio de Janeiro, 5 de fevereiro de 1927) Poeta, crítico, professor, ensaísta e teatrólogo brasileiro. Seu primeiro livro, um livro de poemas, foi Alvéolos (1886), mas o que lhe deu nome foi a autoria da letra do Hino Nacional Brasileiro e a sua atividade de crítico literário na imprensa brasileira do início do século XX. Foi membro da Academia Brasileira de Letras. Seu poema de 1909, em versos decassílabos, foi oficializado como letra do Hino Nacional Brasileiro por meio do Decreto nº 15.671, do presidente Epitácio Pessoa, em 6 de setembro de 1922, véspera do Centenário da Independência do Brasil.

E seguindo num caminho de pedra a direita da Igreja Matriz, o visitante pode contemplar a Gruta de Nossa Sra. de Lourdes.

Na semana que vem, a segunda parte da Visita a Paty do Alferes.

Um Abraço a todos e até lá! :)

Fonte Biografia Duque Estrada: Wikipédia

Nenhum comentário:

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.