Ads Top

Teresópolis: A Vila de Santo Antonio do Paquequer

Fala, meu povo!

Já conhecemos Sumidouro, Carmo e até levamos a você, que nos visita e nos engradece com esta, a história e as terras "Além" do rio Paraíba do Sul.

Ufa! Agora é hora de pegar o caminho de volta para o Rio. O RdV apresenta a Vila de Santo Antonio do Paquequer, a belíssima TERÊ, TERESÓPOLIS!!


Av. Oliveira Botelho,Alto. Próximo dali, na Praça Higino da Fonseca, tem a Feirart, uma feirinha de artesanato, roupas e doces em geral onde você pode levar algumas lembrancinhas da cidade.

A cidade é conhecida pelo seu clima, pela Granja Comary (onde se localiza o Centro de Treinamento da CBF) e pelo Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que abrange os municípios de Petrópolis, Guapimirim e a Vila de Santo Antonio de Paquequer (como era denominada Teresópolis no ínicio de sua existência) e nele se encontra algumas das formações rochosas mais conhecidas do estado: O Pico Dedo de Deus, que pode ser avistado do Mirante do Soberbo - na BR-116, entrada da cidade.


Aliás, vocês sabiam que, assim como Guapimirim, Teresópolis fazia parte do município de Magé?



"Sub Digitum Dei" nasceu a Fazenda de Santo Antonio


Sob o Dedo de Deus (É o que está escrito no subtítulo em latim) começou a surgir esta bela cidade...graças aos relatos de Baltazar de Souza Lima, que em seus apontamentos relatava sobre as belezas da Serra dos Órgãos e sobre a Cascata do Imbuí...isto em 1788.


Mas foi no ano de 1881, que um português de origem inglesa adquiriu uma grande gleba e a transformou em uma fazenda modelo, trazendo seus amigos para desfrutar do ar puro da montanha. Esse português era o comerciante George March e os gonçalenses e niteroienses com certeza lembraram desse sobrenome.

Presente no cotidiano de niteroienses e gonçalenses, a Rua Dr. March, na verdade, homenageia o filho de George March: Guilherme Taylor March (1838-1922), médico que se dedicou a medicina homeopática e ao estudo da doutrina espírita. Nascido em Teresópolis, se mudou para Niterói (mais precisamente no Barreto) quando casou com Francisca de Paula Correa no Rio de Janeiro.

Pelo seu empenho em prestar atendimento médico aos menos afortunados, foi denominado "Pai dos Pobres".

Esta fazenda passou a se chamar "Fazenda de Santo Antonio" ou "Fazenda Sant'Ana do Paquequer". E assim nascia o povoado de maior importância no caminho que ligava a Corte às Minas Gerais.

Durante muito tempo, Teresópolis serviu como parada estratégica para os comerciantes que vinham das Minas Gerias em direção ao Porto da Estrela. No ano de 1855, era criado a Freguesia de Santo Antonio do Paquequer, vinculado ao município de Magé.

Em 1891 o governador Francisco Portella sanciona o decreto de nº 280, que eleva a categoria de cidade (ou município, como preferirem) a Freguesia de Sto. Antonio de Paquequer, que passa a se chamar TERESÓPOLIS, em homenagem a Teresa Cristina - mulher de Pedro II, que se encantou com as belezas do lugar.

E no ano de 1908...

...foi inaugurada a estação "Alto Teresópolis". Como tantas outras, apenas restaram as lembranças desta (A Estação encerrou suas atividades em 1957, junto com a E.F.Leopoldina e foi demolida) que, depois da desativação, servia como ponto final de ônibus.



"Rua São Francisco", Av. Oliveira Botelho
Bem, com a chegada do trem a Teresópolis perebeu-se um certo progresso nas redondezas. Progresso que foi acentuado com a inauguração de uma ligação entre a cidade e a capital fluminense, no ano de 1959.


A Igreja Matriz de Santa Tereza que vemos na Praça Baltazar de Sousa Lima data de 1927, pois a original foi demolida por estar em péssimo estado de conservação e não comportar o grande número de fiéis. A primeira foi erguida em 1855, inicialmente dedicada a Santa Claudina. Depois foi dedicada a padroeira local: Santa Tereza D'avila.

Mas há muito o que ser visto em Terê...

...como as trilhas e a exuberante natureza do Parque Nacional da Serra dos Órgãos...


"Aê papa-goiaba, tô desde 2003 procurando esse EXTRA! Se eu num achei que diga você!"

...e a incessante busca de Leonardo Branco pelo Extra de Teresópolis: Ele existe! Se não existisse, a Viação Dedo de Deus não teria uma linha somente para ela.





Como diz Didi Mocó: "Aguarde e confie..."




Abraço e tudo de bom!






Texto: Luiz Antonio Doria
Fotos: Leonardo e Viviane Branco
Fonte Pesquisa: Wikipedia e Panorama Espírita(Foto de Dr. March)

Um comentário:

  1. ACHEI O MÁXIMO! EXISTE UM DVD QUE CONTA PARTE DA HISTORIA DE TERESOPOLIS, CHAMADO "REMINISCENCIAS". É MUITO BOM. E NÃO EXISTE UMA "LINHA" CHAMADA "EXTRA", ESSES SÃO OS RESERVAS QUE SÃO UTILIZADOS QUANDO FALTAM ONIBUS.

    ResponderExcluir

Olá!

Sua opinião é muito importante para nós. Esperamos sua visita por aqui mais vezes.

Grande abraço e tudo de bom!

Tecnologia do Blogger.